Luiz Gonzaga Cortez

0

Obra: Pequena História do Integralismo no RN; Autor: Luiz Gonzaga Cortez; Co-Edição Clima e Fundação José Augusto; 1986; Natal[RN].

 [p. 13]  Quando literatura inicia política: ‘Quem não era contra o comunismo era comunista e inimigo das instituições’. Declaração do general Newton Cavalcanti, referindo-se ao período da ditadura fascista de Getúlio Vargas.  O Integralismo foi um movimento liderado pelo escritor paulista Plínio Salgado, um dos participantes da Semana da Arte Moderna de 1922, acontecimento de grande importância na transformação da literatura brasileira. A semana gerou duas tendências, a primitivista-antropogágica, liderado por Oswald de Andrade e o verde-amarelo, do qual participava Plínio Salgado, Graça Aranha e Tasso da Silveira. O grupo verde-amarelo rachou e Plínio formou o grupo Anta, que pretendia aprofundar os estudos dos problemas brasileiros.

           Guerrilha de salineiro durou 2 anos [p.49 a 54] o autor fala sobre o movimento guerrilheiro em 1934/1936 na região salineira — entre Mossoró e Macau, centrado no Vale do Assu – comandada por Manoel Torquato. Diz o autor que o movimento integralista foi insignificante nas cidades do Vale do Açu em razão do coronelismo e do comunismo.

Deixe uma resposta