Os outros cata-ventos de Macau por Getúlio Teixeira

Os cata-ventos estão voltando à região de Macau, agora chamados de Aerogeradores.

imagem Google

A energia eólica é utilizada desde a antiguidade: embarcações, moinhos e bombeamento de água – muito utilizado nas salinas de Macau. As velas nunca deixaram de impulsionar as embarcações em Macau embelezando a paisagem e o uso da energia eólica para produzir energia elétrica está de volta, agora por meio de grandes Aerogeradores.  Getúlio Teixeira sempre ligado às coisas de Macau lembrou-se dos antigos cata-ventos da Ilha de Alagamar.

Imagem Google

Leiam Getúlio:   Ouvindo pela manhã uma emissora de rádio local, onde foi abordado o problema da energia eólica. Veio à tona lembranças de minha infância. Até meados dos anos sessenta algumas casas de veraneio em Alagamar e algumas propriedades rurais dispunham de energia elétrica através de cata-ventos.  Eram equipamentos precários. A energia era gerada através de um cata-vento de duas palhetas que, através de uma polia movimentava um dínamo de automóvel que carregava uma bateria, também de automóvel, que era suficiente para acender algumas lâmpadas de seis volts e manter funcionando um rádio. O cata-vento era montado em uma torre aproximadamente de 10 metros e dispunha de uma corda, chamada de peia, que era uma espécie de freio para evitar que o mesmo funcionasse o dia todo. As existências de cata-vento em propriedade rural lembram-me apenas de um em Pocinhos de Senhor Barbalho e outro na Fazenda de dona Vicência Padilha na mesma localidade. Quanto aos existentes em Alagamar, lembro-me dos instalados nas casas de João Melo, José Macedo, Nelson Ramalho, Manoel Casado.