Mais sobre a piraca que iluminava as salinas de Macau

1

De Getúlio Teixeira, memorialista macauense.

Foto de autor não ident; início da década de 1960; salinas de Macau, arq. Benito Barros

Revirando as prateleiras da memória não foi difícil lembra-me da velha PIRACA. Era um objeto utilizado para iluminação das residências mais pobres, geralmente utilizadas em casas da periferia ou em casas de fazenda. Servia para iluminar os currais de madrugada, quando o vaqueiro ia tirar o leite. Largamente usada nas salinas, nas colheitas de sal. Foi símbolo da campanha politica de Aluízio Alves em Macau em 1960. Fácil de explicar a adoção da piraca como símbolo de campanha. Em uma das musicas de Aluízio o mesmo prometia como meta de governo, a vinda da energia da Hidrelétrica de Paulo Afonso[Bahia], e como Macau ainda  não dispunha de uma boa eletrificação, tá explicado. As piracas eram confeccionadas em latas de um litro e usavam como pavio algodão natural trançado ou mesmo trapos de tecido, tinham uma alça para segurar . O pavio tinha que ser bem grosso para que a chama perdurasse acesa quando exposta ao vento. O combustível utilizado podia ser querosene ou óleo queimado. Todas elas eram feitas artesanalmente, os seus criadores eram chamados de flandeiros. Facilmente encontrava-se nas feiras ou em casa de mangaio.  A musica da campanha de Aluizio dizia assim:

Com piraca ou sem piraca

Vamos esperar

O nosso governador

Ele vai chegar . . .

1

  1. I precisely wanted to thank you so much once more. I do not know the things that I might have worked on without these hints documented by you about such a area of interest. This was a hard scenario in my opinion, but seeing the professional style you processed the issue forced me to jump with happiness. I am just grateful for the help and thus pray you find out what a great job that you’re accomplishing educating other individuals with the aid of your blog. I’m certain you’ve never encountered all of us.
    louis vuitton outlet http://louisvuittonoutlets2013.overblog.com

Deixe uma resposta