Perfume de bogari na poesia de Gilberto Avelino à sua mãe

0

Balada à presença de minha mãe

Mãe e filha, 2009, Reynaldo Fonseca

Por que colho

em ternura tanta

o bogari

que a manhã aclara?

 

— É por sentir

com certeza funda

 

que a minha mãe

está a respirar

o seu aroma.

 

Gilberto Avelino [1928/2002] poeta.

Deixe uma resposta