Uma fábrica de cigarros em Macau e uma propaganda: quando fumar era arte e remédio!

No tempo em que o cigarro era remédio e a Souza Cruz não havia engolido as pequenas fábricas espalhadas pelo Brasil, Macau teve sua fábrica de cigarros. Zé de Damiana nos contou na entrevista em 2010 que ainda jovem trabalhou numa fábrica em Macau. Isso foi lá pelo primeiro quartel do século XX.  A propaganda que ilustramos este post foi copiada do livro Historia da Industrialização do Rio Grande do Norte, dos professores José Lacerda A. Felipe e Aristotelina  P.B. Rocha; ilustrado com fotografias de Giovanni S. Rêgo;  a  edição foi da FIERN em 2010. O livro nos foi emprestado gentilmente pelo macauense Laercio Medeiros Bezerra, Promotor de Justiça em Macau por vários anos.  A fábrica era de Virgílio Oscar Pinheiro  que anunciou   seus produtos no “Almanak de Macau” de 1909. A fábrica ficava na Rua Augusto Severo, número 9,  e o médico Dr. Pedro Amorim citado na propaganda atendia na rua 13 de Maio conforme o anúncio no mesmo ”Almanak”.

Da equipe do baú de Macau