Festas juninas em Macau: João Neblina, enfermeiro e dançarino

João Neblina (João Pereira) e as festas Juninas.

 

João Neblina, decada 1960, Enfermeiro e "marcador" das quadrilhas juninas, post Tião Maia, Cyber, 2012

Não se pode falar das festas juninas em Macau dos idos dos 1950 a 1970, sem recordar da figura de João Neblina que nasceu no Porto do Carão. Enfermeiro de profissão e dançarino por convicção foi um exemplar funcionário público, enfermeiro no Posto de Saúde de Macau, o antigo Posto de Higiene. Sempre pronto para atender, onde ele estivesse, na bodega de Antonio Pimenta, tomando sua dose de São João da Barra, ou qualquer outro lugar, não se separava dos primeiros socorros, inclusive o estojo de aplicar injeção. Quando chegava junho em Macau, terra de povo alegre, festeiro e de bons dançarinos, João Neblina era o mais solicitado para “marcar” a quadrilha. E quando ouviam o: “Vocês sabem para quem é esta festa que nós vamos começar?”, todos já sabiam que era o ensaio de João Neblina. E respondiam: “Para São João Batista que iremos festejar!”.  E João Neblina, feliz completava: “Sendo para aquele Senhor nós não podemos faltar, sanfoneiro puxe o fole para festa começar, cavalheiros peguem as damas e comecem a dançar!”. Nos ensaios das quadrilhas João Neblina era perfeccionista, exigia com rigor os passos certos e a obediência aos comandos:  “Alavantú, anarrié, caminho da roça, galope, serrote e o túnel”. E todos os passos deveriam ser executados com a maior perfeição. Mas, ainda tinha um belo detalhe, nos ensaios João Neblina observava as dançarinas e escolhia a melhor delas, e ao término do ensaio, convidava a dama e demonstrava sua grande habilidade de dançarino de xote. Era fantástico. João foi durante muito tempo assistente do Dr. Varela, sempre pronto para servir a população, independente de pagamento. Quem precisasse dos seus serviços, ele estava lá. Foi assim João Neblina, enfermeiro e dançarino em Macau.

De Getúlio Teixeira para o baú de Macau