Almanak de Macau 1909 – quem, e o que existiam em Macau

0

 

E. Valle, década 1950, pesca de arrasto, arquivo Professora Anaíde Dantas

Uma contribuição inestimável do companheiro Benito Barros [1957/2010] a Macau foi a reedição do Almanak de Macau – 1909.  Imperial Casa Editora da Casqueira em coedição com o Sebo Vermelho de Natal  [ edição fac-similar – 1999].

Município de Macau  - [ligeiros apontamentos] – página 18

 

E. Valle, década 1950, salinas, arquivo Professora Anaíde Dantas

Magistratura – Tem sido seus Juízes de Direito os bacharéis Mathias Antonio da Fonseca Morato, Olympio Manoel dos Santos Vital, Manoel Barata de Oliveira Mello, Philippe Nery de Brito Guerra, João Ferreira Domingues Carneiro, Francisco Carlos Pinheiro da Câmara e actualmente Manoel Xavier da Cunha Montenegro.

Juízes Municipaes – Bacharéis Antonio Antunes, Fabio Cabral de Oliveira, Nestor de Meira e Sá e Francisco Bezerra Cavalcante de Albuquerque.

Promotores – Bacharéis Vicente Simões Pereira  de Lemos, José de Lima, Antonio Cesário Ribeiro, Manoel  de Carvalho e Sousa, Cardoso Ayres, Fabio Cabral de Oliveira , Jose Herculano de Lima Freire, José Moreira  Brandão Castello Branco, Aprígio Augusto Ferreira Chaves, Manoel Xavier da Cunha Montenegro, Arthur Heraclio Gomes da Silva, Joaquim Barbosa Freire, Alcebíades Cabral de Oliveira e actualmente Adalberto Soares de Araújo Amorim.

 

Religião – Catholica; Parochia de N. S. da Conceição, com uma população de 10.137 habitantes. Existem a Egreja matriz e quatro capelas. É presentemente vigário da freguesia o Padre Joaquim Honório da Silveira.Correio – Uma agencia postal exercida por Bibiano Xavier Bezerra

 

Foto de autor não ident.; década 1920, Prensa de Algodão em Macau, arquivo: Leão Neto

Instituições – Funccionam: a Companhia Commercio e Navegação; com sede no Rio de Janeiro, a Companhia Pernambucana de navegação a vapor, com sede no Recife, Empresa Lloyd brasileiro, com sede no Rio de Janeiro, Companhia Maranhense, com sede no Maranhão, e a sociedade de beneficência de S. Vicente de Paula.

Sociedades recreativas – Funciona regularmente uma sociedade dansante que denomina-se Terpsichore-club, uma das melhores do Estado. [*]

Telegrapho – Tem uma estão de Telegrapho Nacional a cargo do telegrafista Arthur Fernandes de Mello.

Imprensa – Publica-se periodicamente o “Neophyto” de propriedade de Francisco F. de Araújo e a “Indústria” sob a direção de Petronillo Joffely.

Getulio Moura, 2005, carnaubais do Vale do Assu, arquivo

 

Indústria e lavoura – Fonte do município: sal, algodão, cêra de carnaúba, cereais, pesca e pecuária.

[*] Este clube recreativo foi refundado pelo ex-deputado Floriano Bezerra  e seus amigos  em 1955 como Terpsícore Clube, obedecendo a grafia da época. Floriano narra o fato na página 223 do seu livro de memórias  Minhas Tamataranas – linhas amarelas, publicado pelo Sebo Vermelho em 2009.