A modernização do transporte do sal

0
Arimatéia Gomes, decada 1960, Barcaças sendo rebocadas.

A modernização do processo de produção do sal foi concluído com uma completa mudança no transporte do produto. Como constatou o Professor Ademir Araújo Costa na sua obra Tecnologia e Desemprego : O caso da região salineira de Macau-RN, “As antigas alvarengas que já haviam substituído as barcaças de madeira do passado e que ainda davam ocupação a uma considerável tripulação de alvarengueiros, foram substituídas por grandes barcaças que multiplicaram o número de toneladas transportadas e reduziram à metade a demanda das categorias que lidavam diretamente com o transporte do sal [estivadores, alvarengueiros, calafates, etc.]. Por sua vez, a chegada das super-barcaças, em 1983, teve praticamente o mesmo efeito”. A evolução do processo do transporte do sal mostrou que até a década de 1940/1950  utilizavam barcaças com capacidade média de 10 toneladas, ocupando 12 homens; Nas décadas de 1950/1960 com a mudança para alvarengas com capacidade média de 60 toneladas a mão-de-obra de diminui para 8 homens. Na década de 1970 com a entrada das grandes barcaças de 600 toneladas,  era preciso apenas 4 homens e por fim com a mecanização total do processo e a introdução das super-barcaças de 1000 toneladas, somente dois homens cuidavam de todo o processo, apenas ligando e desligando maquinas.  Os dados estão num quadro na página 80 do citado livro.

Acesse aqui o Arquivo fotográfico das embarcações no transporte do sal

Mais sobre o Porto-Ilha:http://pt.wikipedia.org/wiki/Porto-Ilha_de_Areia_Branca

Deixe uma resposta