Das recordações de Fernando de Goes Filho: Jeep, uma história – 3

0

 

E. Valle, 1940. Salinas de Macau-RN

Niltinho Serejo foi o motorista oficial do Jeep do meu pai. Era uma grande figura, e eu menino tinha muita admiração por ele que permaneceu até hoje. O baixinho era o cabra mais brabo de Macau. Brabo e valente!  Certa vez chegou um jovem casado recentemente vindo de Touros para buscar meu pai porque sua mulher estava em trabalho de parto há dois dias. Era muito longe e não existia estrada, mas o homem insistiu e já chegou com Niltinho muito bem pago. Niltinho me contou que a viagem foi uma proeza, teve um trecho que foi preciso quatro homens de um lado e quatro do outro para vencer um morro.  Muitos anos depois comecei a construir uma casa em Carnaubinha, perto de Touros, andava muito pelos bares e certa vez um velho perguntou o meu nome, eu disse e ele então falou: “Eu fui buscar seu pai em Macau”. Estava confirmada a história.  Muitos anos depois, quando eu e Niltinho nos encontrávamos ele falava: — Sabe Fernando, “Um dia eu preciso contar as histórias do Jeep para algum jornalista”. Não sei se chegou a contar. Fui visita-lo duas vezes na Casa de Saúde São Lucas antes dele falecer. Ficou-me a boa recordação daquele homem decidido e sem medo do perigo.   

De Fernando de Goes Filho para o baú de Macau[continua]

Deixe uma resposta