Anotações sobre a pesquisa do Professor João Felipe

0

 

Foto de autor não ident., decada 1950, trapiches em Macau

O resgate histórico feito pelo Professor João Felipe da Trindade e publicado neste baú sob o título Tempo de eleições em Macau, contém dados interessantes que demonstram a pujança de Macau no final do século XIX como entreposto comercial importante para todo o vale do Piranhas-Açu e parte do sertão nordestino. Era um porto de muito movimento e cidade com bom número de pequenas indústrias.  Daqueles que ajudaram a construir nossa cidade, muitos são oriundos da Paraíba, como os Paivas. Chegaram até aqui, inicialmente como comerciantes ambulantes e depois fixaram residência, comércio, indústria e agricultura e tornaram-se macauenses.  Das profissões dos eleitores qualificados entre 1890 e 1892, 63 ao todo, destacamos que trabalhavam nas lides marítimas cerca 33, mais de 50%, entre marítimos, práticos e empregados no porto.  Destacamos também um bom número daqueles ligados ao comércio e de artesãos ou artífices, denominados artistas, cerca de 20%. É interessante constatar no final do século XIX em Macau – a terceira cidade em importância comercial no Rio Grande do Norte – o número de artesãos e suas artes que a grande indústria vai excluir do mercado.  

De Claudio Guerra para o baú de Macau