Presença dos Ferreira de Miranda em Macau

Pelo Professor João Felipe da Trindade [jfhipotenusa@gmail.com]

E. Valle, década 1950, Macau-RN

Encontramos a família Ferreira de Miranda, inicialmente, na Freguesia de Nossa Senhora da Apresentação, mas os mesmos documentos que revelam essa presença na dita Freguesia, dão conta de sua passagem pelo Assú. Encontramos, também, sua presença em Santana do Mattos, através de João Ferreira de Miranda. Aqui nós trazemos registros da presença dos Ferreira de Miranda em Macau, através de Manoel Ferreira de Miranda. Vejamos alguns registros.  João, branco, filho de Manoel Ferreira de Miranda, e de Anna Ritta dos Prazeres, esta natural da Freguesia de Extremoz e aquele natural da Freguesia de Santa Anna do Mattos, nasceu aos trinta e um de julho de mil oitocentos e cinquenta e cinco, e foi batizado aos dezessete de setembro do dito ano, solenemente por mim nesta matriz; foram padrinhos João Ferreira de Miranda, casado,  e Rita Regina da Câmara, por procuração que apresentou Maria Florência Raposo da Câmara. Do que para constar fiz este assento em que me assino. Manoel Jerônimo Cabral, coadjutor pro-parocho.  Manoel, branco, filho legítimo de Manoel Ferreira de Miranda e Anna Ritta dos Prazeres, nasceu aos quinze de outubro de mil oitocentos e cinquenta e seis, e foi batizado aos dez de dezembro do mesmo ano, solenemente, por mim nesta matriz; foram padrinhos José Ferreira Nobre Câmara, solteiro, e Nossa Senhora da Conceição. Do que para constar fiz este assento em que me assino. O vigário Manoel Jerônimo Cabral.  Joanna, filha legítima de Manoel Ferreira de Miranda e Anna Ritta dos Prazeres, nasceu aos 12 de julho de mil oitocentos e cinquenta e oito, e foi batizada aos quatro de dezembro do mesmo ano, pelo Reverendo Elias Barbalho Bezerra, nesta Matriz, com os santos óleos; foram padrinhos José de Borja Caminha Raposo da Câmara, e Maria Florência Raposo da Câmara, solteira. Do que para constar fiz este assento em que me assino. O vigário Manoel Jerônimo Cabral.  Mas, Joanna não resistiu por muito tempo, pois com sete meses faleceu, como podemos ver no registro seguinte.  Aos quinze de janeiro de mil oitocentos e cinquenta e nove foi sepultada no cemitério, a parvula Joanna com idade de sete meses, filha legítimo de Manoel Ferreira de Miranda e Anna Ritta dos Prazeres, amortalhado em hábito branco, faleceu de espasmo e foi encomendada por mim. Do que para constar fiz este assento em que me assino. Manoel Jerônimo Cabral.  Para não perder o embalo, aproveitamos para apresentar o óbito de um membro da família Ferreira de Miranda, ocorrido em Natal. Diz o registro: aos vinte e seis de maio de mil oitocentos e quarenta e oito, faleceu da vida presente com todos os sacramentos, Manoel Ferreira de Miranda, branco, casado, com a idade de 30 anos, morador em Extremoz, foi sepultado na matriz envolto em habito preto, e encomendado por mim. E para constar fiz este assento em que me assino. Bartholomeu da Rocha Fagundes. Vigário Colado.  Não foi possível encontrar a relação desse Manoel Ferreira de Miranda com o de mesmo nome, lá de Macau.

Visite: http://putegi.blogspot.com.br/2012/08/presenca-dos-ferreira-de-miranda-em.html