Mecanização e desemprego em Macau [1]

 

Mecanização das salinas em Macau, décadas 1960/1970

Em 1970, Macau apresentou a expressiva marca de 68% da sua população economicamente ativa [PEA] na condição de desempregados. Tal situação transformou a cidade em um verdadeiro reduto de trabalhadores aposentados e pensionistas, cuja principal fonte de renda era os benefícios concedidos pelo então INPS – Instituto Nacional de Previdência Social. O acentuado índice de desemprego impressiona ainda mais se atentarmos para o fato de que faz alusão ao período anterior ao funcionamento do Porto Ilha. Posteriormente, quando este começou a operar, a situação tornou-se ainda mais severa: foram dispensados praticamente todos aqueles que ainda trabalhavam no transporte do sal. Calcula-se que cerca de 4.500 pessoas, entre trabalhadores e dependentes, foram diretamente atingidas, com reflexos imediatos na economia local.

páginas 169/170 da obra: Das Salinas ao Sindicato – A trajetória da Utopia Salineira, do Professor Francisco Carlos de Oliveira de Sousa, 2007, Natal, CEFET-RN Editora.