Manassés

0

Apesar de não ter nascido em Macau, o cantor e compositor Manassés viveu boa parte de sua juventude na cidade do sal e deu importante contribuição no movimento estudantil, na cultura e na política macauense.

Manassés lapida sua obra em “Varal do Tempo”

Tribuna do Norte: 10 de Fevereiro de 2006

POETA - Percorrendo várias vertentes musicais, Manassés faz um disco de harmonias elegantes

POETA – Percorrendo várias vertentes musicais, Manassés faz um disco de harmonias elegantesSamba, frevo, música popular, baião, baladas, bossas e funk. Apesar da diversidade de influências, o novo trabalho do cantor e compositor Manassés Campos passa longe de ser uma salada insípida e/ou confusa. Sugestivamente batizado de “Varal do tempo”, o CD encerra um hiato de 15 anos desde o lançamento do LP “Nós”, no início dos anos 1990. Cercado de expectativas, “Varal do tempo” será oficialmente apresentado ao público nesta sexta-feira, às 20h, no auditório da Escola de Música da UFRN. Os ingresso custam R$ 10 e R$ 15 (com direito ao disco).
Gravado e produzido entre 2004 e 2005, no Studium Produções, Manassés preferiu deixar que as coisas fluíssem naturalmente: “Não estava preocupado com o tempo, e sim com a qualidade do resultado”, justifica Campos, que bancou todo o projeto sem ajuda de patrocinadores. A co-produção é assinada pelo baterista Di Stéffano e a direção musical de Sérgio Farias. “Esse trabalho é muito especial, reflete o bom momento pessoal e profissional, e enfatiza meu lado compositor”, diz.
Composto por 12 músicas, o álbum traz arranjos elaborados, leveza rítmica e letras românticas. Mas não pense que é um romantismo piegas, gratuito. Na verdade o compositor natalense exalta as belezas da vida e da cidade, declara amor à família, aos amigos, à lua e ao sol: “Eu amo tanto, eu danço ao vento e estendo flores no varal do tempo”, diz na música título que abre o CD.

Deixe uma resposta