Libertação do Escravos em Macau do Assu: fevereiro de 1888.

Registrou o jornal O Macauense de 11 de fevereiro de 1888 que às 16 horas do dia 5 de fevereiro de 1888, iniciou-se a reunião que fundou a Sociedade Libertadora Macauense. A reunião foi realizada Câmara Municipal e dirigida pelo Professor Elias Souto. O Doutor Arthur Chaves foi convidado para presidir a reunião e para compor a Mesa provisória foram convidados os Srs. Capitão Eufrásio Alves de Oliveira, Tenente João Coelho, Clementino Filho, Francisco Gomes, João Brito, José Alves, José Ramos, Ricardo de Santana, João Teixeira e Manoel Suzano.  Participaram também da fundação da Sociedade o  Dr. Joaquim Chaves Filho e os estudantes universitários, Archimedes de Oliveira Souza e  João Alves de Oliveira. O Capitão Eufrásio apresentou quatro cartas de libertação dos seus escravos, declarando que deixava de ser escravista. A Banda de Música esteve presente na cerimônia e depois acompanhou a  passeata dos libertadores pelas ruas de Macau com muito foguetório e música e que foi encerrada as 20 horas. Para o jornal, a este ilustres cavalheiros têem grandeza d’alma bastante para não deixarem de concorrer com os seus esforços – libertando seus escravos – para um fim tão altamente humanitário e civilizador –qual o de proclamar –se livre a cidade de Macáu.