1935, caixa beneficente: a organização dos trabalhadores em Macau

 

Foto autor não ident., decada 1960, Sindicato dos Estivadores de Macau

As caixas beneficentes, de socorro mútuo, de ajuda mútua e similares foram as primeiras formas de organização dos trabalhadores naquele mundo do trabalho sem direitos e sem proteção. A solidariedade operária buscava suprir e dar alguma segurança aos trabalhadores e sua família. No caso dos estivadores, categoria numerosa e mais organizada a Caixa de Aposentadoria e Pensões foi criada ainda em 1934 e transformada em instituto [IAPETEC] pelo Decreto-lei 1355 de 19/6/1939.   Equipe do baú de Macau

Ata Sindicato dos Estivadores 12 setembro 1935: Acta de sessão da Commissão Executiva. Aos doze dias do mez de setembro do anno de mil novecentos e trinta e cinco, nesta cidade de Macau, na Séde do Syndicato dos Operários Estivadores, á praça Joaquim Honório, reunidos os membros da Commissão Executiva, em sessão ordinária, sob a presidência do sr.  Pedro Romeiro Barros, foi proposta deste, resolvido que o produto  das contribuições dos associados para a Caixa Beneficente seja dividida metade para a mesma Caixa e a outra metade recolhida aos cofres da thezouraria e escriturada em conta de Receita Especial destinada a construção do prédio para Séde do Syndicato, não podendo sêr aplicada a outros fins, A comissão, ainda, por proposta do sr.  Pedro Romeiro de Barros, resolveu estabelecer uma multa de cinco mil reis para o sócio que faltar as sessões de Assembleia Geral, sem motivo justificado. Nada mais havendo a tratar e nenhum dos presentes querendo fazer uso da palavra, o sr. Presidente dá por enserrada a sessão, e eu Eloy Barbosa Pimentel, Secretario, lavrei a presente acta que vai assinada por todos os membros da Commissão. Pedro Romeiro Barros – Prizidente; Eloy Barbosa Pimentel – Secretário; Estevam Baptista Pereira – Thezoureiro; Francisco Pereira de Assis – Ad. da Caxa;  Françisco das Chagas Paiva – adiministrador da escóla; Livro de actas das sessões da Commissão Executiva e das Assembléas  Geraes do Syndicato dos Operarios Estivadores.  

Páginas 122/123 de Macauísmos – lugares e falares macauenses, 2ª edição, Benito Barros.