Zacarias Francisco Rodrigues, um lider dos trabalhadores de Macau vítima da ditadura de 1964

Mestre Zaca

No dia 30 de maio chegou Mestre Zaca – Zacarias Francisco Rodrigues [1]. Cabelos grisalhos e a pele curtida no sol e no sal de Macau, dirigindo embarcações.

No interrogatório o capitão perguntava:

—  Nome?

— Zacarias Francisco Rodrigues.

— Profissão?

— Arrais [2].

— Não perguntei quem o senhor apoia, perguntei a profissão. Diga a profissão.

— É arrais mesmo, capitão, isto é, comandante de pequenas embarcações de cabotagem. Arrais com i.

A estória correu de boca em boca. Todo o Quartel ficou sabendo. O riso era nossa arma.

p. 71 – Sem Paisagem – Memórias da Prisão,  de autoria de Moacyr de Góes[1930-2009], Secretário de Educação de Natal no Governo de Djalma Maranhão, Sebo Vermelho Edições, 2004.

As notas são do baú de Macau:

1] Zacarias Francisco Rodrigues, um cidadão de bem que lutava por uma vida digna para todos. Para todos. Líder sindical; Delegado do Sindicato dos Marinheiros em Macau, um dos indiciados e perseguidos políticos em 1964 com base no Relatório Veras, mandado fazer pelo governador Aluízio Alves;

2] Arrais: mestre de embarcação em tráfego portuário; Miguel Arraes de Alencar [1916-2005] uma das maiores lideranças populares do Brasil, ex-governador de Pernambuco, cassado pelo golpe de 1964 e forçado a se refugiar na Argélia para não ser torturado pelos golpistas de 1964.