O comércio das palavras – Textos & Montagens – volume IV

Autor: Américo de Oliveira Costa

Obra: O comércio das palavras – Textos & Montagens –   volume IV, Edições Clima, 1994, Natal-RN.

“…livro quase impessoal, espécie de mosaico, em que suas observações modestas e pertinentes, constituem a argamasse que dá unidade ao precioso conjunto de citações. Essas citações, às vezes de autores pouco conhecidos, têm todas o seu interesse e quase todas incitam à reflexão. A obra inteira é um desses trabalhos que melhore estimulam o amor à leitura”.  Paulo Rónai [carta ao autor em 1989  – orelha do livro]

“Eis alguns detalhes da fase macauense de Aurélio. O ambiente da cidade provinciana, ás voltas com a sua pequena humanidade municipal, a mesma, sem dúvida, em toda parte, nas suas características de relações sociais, intrigas, jogo de miúdos interesses, — esse ambiente deverá ter influído no ânimo do escritor, em tédio, cansaço, por vezes irritação, pela estreiteza, pelo vazio… Talvez, por esses dias, já lhe andasse pelo espírito a idéia de um romance: o seu romance de estudante na Bahia, período que tudo indica densa e emocionalmente vivido. Esse romance, porém, só virá  à luz em 1926, e sem quaisquer menções ao tempo de sua composição. Mas a sua natureza de romancista, de ficcionista, começaria, então, com certeza, a apurar-se, a enriquecer-se de experiências, observações, impregnações, — insensível ou  inconscientemente, não importe, porque é assim, muitas vezes, que acontece ao artista, nesses processos lentos, indistintos, subterrâneos, das elaborações de mundos e da modelagem de seres, nessas misteriosa e paulatinas estratificações de imagens, impressões, reações, — que, um dia, complexo de memória e de imaginação, surgirá, de súbito, revelado à superfície do tempo.  Seu romance “Macau” será disso um nítido testemunho”. Página 100 — Aurélio Pinheiro: tentativa de estudo crítico e biográfico [Discurso de posse na Academia Norte-Rio-grandense de Letras, a 22 de dezembro de 1949]