O verdadeiro – A história do PSD potiguar, de Lauro Gonçalves Bezerra

0

Lauro Goncalves Bezerra O Verdadeiro A historia do PSD potiguarObra: O verdadeiro – A história do PSD potiguar

Autor: Lauro Gonçalves Bezerra; Natal-RN, 2012, Edição do Autor; ISBN: 978-85-912389-1-0; Apoio cultural: Caravela Selo Cultural; Patrocínio: Ecocil

Excertos:

Palavra do autor: “Guardei dois livros de atas do PSD. Foram doações do tio Theodorico e estiveram custodiados pelo primo Kléber durante muitos anos. Surgiu uma terceira legenda do PSD, com Gilberto Kassab, em São Paulo. Muitas polêmicas e badalações. Aqui e alhures. … “

Um partido verdadeiro. Um verdadeiro partido: “A sabedoria política de Getúlio o levou a criar dois partidos: O PSD, para agasalhar as grandes lideranças políticas que controlavam o interior do Brasil, e o PTB, com projeto voltado para o eleitorado urbano a partir de um programa trabalhista que dava respaldo à CLT [Consolidação das Leis do Trabalho], que Vargas havia copiado de Benito Mussolini, ditador da Itália”. [Cassiano Arruda Câmara – jornalista]

Criação do PSD no RN: “…No Rio Grande do Norte, a secção do Partido Social Democrático foi fundada em 23 de maio de 1945. A primeira reunião preparatória da fundação foi realizada na sala 204 do Edifício Bila, localizado na Avenida Duque de Caxias, nº 116, no bairro da Ribeira, em Natal. Os fundadores do PSD potiguar foram João Severiano da Câmara, José Georgino Alves Avelino, Deoclécio Dantas Duarte, José Augusto Varela, Gil Soares de Araújo, Manoel Gurgel do Amaral, Rui Moreira Paiva, José Ulisses de Medeiros, Theodorico Bezerra, Claudionor Telógio de Andrade, Ubaldo Bezerra de Melo, Israel Ferreira Nunes, Adauto Soares Marinho, Clovis Travassos Sarinho, Luiz Soares de Araújo e José Aurino da Rocha”.  [p.35]

“O novo partido teve sua convenção marcada para cinco de junho daquele ano, com a oficialização da candidatura de Dutra à Presidência do Brasil e a eleição da comissão executiva do PSD. … Estavam representados todos os municípios com suas expressivas lideranças”. [p.36]

“7º – ASSÚ – prefeito Manoel Montenegro, Francisco Alves de Queiroz, Manoel Cesar, Ademar de Sá Leitão, Olavo Montenegro, Julião de Lélis Bezerra, Camilo Bezerra Neto, Ernesto Carlos de Souza, Jorge Barreto, José Cortez Cabral e Adauto Gurgel”.  [p.38]

“21º – MACAU – prefeito João Melo, Pedro Alves de Medeiros, Álvaro Rodrigues, Augusto Coutinho, Elói Barbosa, Antão Bezerra, Caetano Madruga, João Amaral Fernandes, José dos Santos, Alfredo Teixeira de Souza, Absalão Pinheiro, Hiram Fernandes”.  [p.40]

Observações do baú de Macau conforme consulta ao nosso colaborador promotor de justiça aposentado Laércio Bezerra de Medeiros:  1] Pedro Alves de Medeiros era liderança política da vila de Pendências que fazia parte do município de Macau.  2] Elói Barbosa era ligado ao Sindicatos dos Marítimos; 3]Caetano Madruga, talvez seja na verdade Caetano Mangia, italiano que migrou para Macau onde exercia o comercio e participava ativamente da vida política e social da cidade.

Deixe uma resposta