O carnaval de Macau por Aparício Fernandes

0

 

Carnaval de Macau década 1940. Bloco Colete Azedo

Carnaval de Macau década 1940. Bloco Colete Azedo

O Carnaval era outra maravilha na Macau do meu tempo. Tão bom que a gente sentia até vontade de chorar na quarta-feira de cinzas. No Carnaval, todo mundo tomava porre de lança-perfume, o que hoje é proibido. Era só botar no lenço e cheirar, que a gente entrava em órbita, como se estivesse voando… Que saudade da coreografia bonita do Clube dos Sabiás, dos Remadores de Zé Bianor, dos Lenhadores e de outros clubes carnavalescos! Na parte da manhã havia o desfile informal dos blocos de “sujos”, o mais famoso dos quais era o Bloco da Ema, que invariavelmente saía com alguém fantasiado de Ema, o Virgílio Dantas, do saxofone, tocando atrás e os foliões cantando:

Olha o passo da Ema, olê-olá,

lá do meu sertão, olê-olá,

todo pássaro canta, olê-olá,

só a Ema não, olê-ola…

p.23 , Macau – canto e amor e saudade; Autor: Aparício Fernandes, 1984

Deixe uma resposta