Do poeta cubano Félix Contreras

0

Uma Torre Azul no Cotovelo

Amigos e os poetas Félix Contreras e Horácio Paiva na AAFBB-Natal em agosto de 2012

Amigos e os poetas Félix Contreras e Horácio Paiva na AAFBB-Natal em agosto de 2012

Eu sei, eu valoro muito

a Torre medieval de António Nobre

em Coimbra, conheço que tem espelhos,

paredes com fantasmas que leem poesia,

nos os cores do mundo e das manhãs,

sei que um vazo tem o coraçao tristonho

e a graça do pranto do poeta…

Eu sei tudo, tudo

do António Nobre,

da Coimbra das manhãs

e delas noites.

Sei que Coimbra e outras cidades

tem galos que podem cantar ate

embaixo do asfalto

e outros dominios subterrãneos

mas, e com perdão,

eu prefiro uma Torrre azul,

a Torre azul

do poeta Horácio Paiva

lá, na Praia do Cotovelo,

onde, o mar,

o amor,

a amizade,

a vida,

tem as mesmas vastidões oceãnicas.

Felix Contreras

março de 2013

Deixe uma resposta