Alfabetização de adultos e o BB-Educar em Macau 2

0

 

Lembrança, curso de alfabetização. Uma criança vê o professor, junho de 1993 em Macau.

Lembrança, curso de alfabetização. Uma criança vê o professor, junho de 1993 em Macau.

Lá pelos sessenta, quando consegui ver um norte, pautei minha vida na busca de vida com dignidade para todos. Tenho por base duas divisas que parecem contraditórias, mas não são. Fui cristão e do cristianismo o que me ficou cravado foi o dito de Jesus Cristo: Abraça o teu irmão! Sou marxista. Em mim está cravado a divisa de Karl Marx: De cada um segundo a sua capacidade para cada um segundo a sua necessidade.

Naquelas noites luminosas da Macau dos noventa, ia com muita alegria para as aulas de alfabetização, mesmo depois de um cansativo dia de trabalho no Banco do Brasil. Foi numa dessas noites que se aproximou de mim com alguma timidez, uma criança pequena filha de uma das minhas alunas e me estendeu um desenho. Foi um dos melhores presentes daquele curso de alfabetização que restou com belas lembranças.

A lição que ficou: todos somos capazes. E podemos e devemos buscar uma vida com dignidade para todos. Para todos.  

De Claudio Guerra para o baú de Macau

Deixe uma resposta