O exame da goma

0

Guilherme Piso 2Guilherme Piso ou Willen Piso [1611/1678], médico do grupo de Maurício de Nassau quando os holandeses invadiram o Brasil no século XVII, deixou grande contribuição para o conhecimento da nossa história.  Na publicação de 1648,  História Natural do Brasil, Livro II, Da medicina brasileira, capítulo XVI, Piso fala sobre o que ele denomina Da úlcera e inflamação do ânus e que os portugueses a denominavam de “bicho del culo”, que consiste no ardor e corrupção do ânus com ulceração corrosiva, gerando grande grau de putrescência, com dores e inflamação tão atrozes, que logo corrói o músculo esfincter a bôca das veias hemorroidais . À época a doença poderia levar à morte em razão da evolução rápida. Diz o autor que o mal só existia no Brasil e que os médicos indígenas prescreviam o seguinte tratamento: lave-se o ânus, introduzindo-se-lhe dois dedos de goma tragacanto, amido de Tipioca de Mandihoca, … Hoje, a doença é conhecida como fístula ou abcesso, dependendo do caso.

A suposição é originar daí o conhecido Exame da goma aplicado aos jovens que fariam o serviço militar obrigatório, que consistia em espalhar a goma de Mandioca num assento onde o jovem sentaria nu, deixando um alto relevo da região anal onde os médicos perceberiam se o mesmo sofria de alguma moléstia como fístulas, abcessos ou hemorroidas. Na jocosidade  criou-se que a história era outra.

De Claudio Guerra para o baú de Macau

Deixe uma resposta