O prosaico charuto

0

charuto_83782315-550x220O prosaico charuto 

 

                               “Nunca se pode ter razão, nem num restaurante.”     Fernando Pessoa

 

 o elevador

 não para

 neste andar

 muito menos

 a terceira dose

  

a poesia sim

  

e o charuto

  

pois não há caçadores

 por perto e

 até no outro mundo

 a caipora também gosta de fumo

  

mesmo que o acenda numa torre

 ou o acenda numa mata

 há sempre risco

 segundo alguns

  

 

e dizem as boas línguas

 que melhor seria

 jamais acendê-lo

  

mas perguntemos à poesia:

 

ela virá sem a

 invocação da fumaça?

 o cheiro do

 Incenso americano?

 a cura dos pajés?

  

pois são muitas as

 razões que se abatem contra

 o pequeno truque que

 dribla a consciência comum

  

 

e mesmo que se use os

 argumentos do manual da guerrilha

 perde-se a batalha de

 morte pelo tabaco

  

 adeus asas de borboleta

 adeus burrinho prosaico

 o acaso o trouxe

 o acaso o leva

  

 em voos de asas

 asas somente

 asas

                                                                    Horácio Paiva, poeta macauense

 

Deixe uma resposta