Uma carta

0

É uma história que nos comove, construída pelo amor, muito amor. Saberemos nós as emoções de Jorge e Luiza naquele maio de 1941 quando Jorge decide enviar a carta pedindo Luiza em casamento?

Eram tempos incertos e conflituosos. Em 1941 vivíamos uma tensão mundial. O nazismo avançava após a deflagração da guerra em 1939. Todos os países eram pressionados a tomar parte no conflito. O Brasil entrou na guerra em agosto de 1942, após o afundamento de muitas embarcações brasileiras. Em Macau, à noite era proibido qualquer luz. Tempos do Parnamirim Field.

 Macau, cidade portuária e de interesse estratégico para a guerra, também vivia seus dias de angústias e incertezas, maiores ainda para os empregados da empresa marítima Lloyd Brasileiro. E foi nessa conjuntura onde tudo era improvável que Jorge se enchendo de coragem, respeito e honestidade buscou realizar o seu sonho de jovem. O amor superou todos os obstáculos. Leiam a carta.

carta 2

 

Sou grato a Getulio Teixeira, atento e imprescindível colaborador do baú de Macau pelas  histórias comoventes que nos envia e felicito os filhos de Jorge Amaral por conservar um documento que fala de amor e honestidade. O esgarçamento da nossa sociedade que valoriza o ter e não o ser tem banido os sentimentos humanos da ternura e respeito.

De Claudio Guerra para o baú de Macau

Deixe uma resposta