Um grito. O da Reserva de Desenvolvimento Ponta do Tubarão.

0

O baú de Macau recebeu ontem um grito da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Ponta do Tubarão. O grito veio em forma de um relatório do jovem Tiago Ezequiel da Silva que é Técnico em Recursos Pesqueiros e Conselheiro da Reserva. É um grito desesperado de quem vê a Reserva ser destruída sem que os poderes ajam.

É preciso fazer valer as leis que regulam as áreas de proteção ambiental. O Governo Federal, o Governo do Rio Grande do Norte,  as Prefeituras de Macau e Guamaré e o Ministério Público, todos em suas instâncias podem e devem agir em defesa do meio ambiente da região.

De Claudio Guerra para o baú de Macau.

 

Caros Conselheiros e Amigos

Chegou o momento de dar um basta em tanto descaso. Denuncias foram feitas, mas nada resolvido. Chega de tanto problema mal resolvido dentro da U.C. da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Estadual Ponta do Tubarão.

Tiago Ezequiel da Silva [Técnico em Recursos Pesqueiros e Conselheiro do Conselho Gestor da RDS Estadual Ponta do Tubarão e 1º Suplente do ILEAÔ

tiagored13@hotmail.com e (84) 3521-9082/ 9915-1068

Caros conselheiros e amigos da RDS Estadual Ponta do Tubarão.

Desde a criação da reserva já se passaram 10 longos anos, tempo que muita gente já colaborou, lutou, sorriu, chorou e até deu vida em prol de algo tão maravilhoso e sonhado em parceria. Foram perdas e ganhos, sucessos e fracassos, mas esta espera trouxe o cansaço, cansaço este que nós oprime, que esmaga nossos sonhos e nós faz refletir o que é necessário ainda fazer em prol da RESERVA.

Neste sábado dia 04 de janeiro de 2014, recebi um telefonema do grupo de guias que estava realizando um estudo de campo no carnaubal.  E todas as imagens voltam à mente, uma área cheia de riquezas e tão visada pelos interesses individuais. É preciso ressaltar que está mesma área sofreu uma extração brutal de água para a terraplanagem das estradas dos parques eólicos no período de 2011 à 2013, e que por meio desta a ação antrópica a nasceste  desta lagoa foi eutrofizada.

Porém desta vez o que foi relatado pelos guias é que um grupo de 05 pessoas que não foram identificas, estavam queimando e derrubando as carnaúbas, como é possível ver nas imagens abaixo:

carnauba 1

carnauba 2 carnauba 3

carnauba 4

carnauba 5

carnauba 8

 

 

 

 

 

 

 

 

E isto nos leva a refletir que a extração de carnaúbas nunca foi tão feroz e devastadora como a que foi identificada nestas imagens, uma agressão incontrolável que prejudica toda a fauna e flora presente no carnaubal.

Mas o que deve ser feito?, Quando será feito?, São perguntas que devemos sempre ter em nossas mentes, pois a lagoa do carnaubal ainda continua assim:

carnauba 12

 

E a salina… Continua com a mesma placa, a mesma que o IDEMA diz: “A salina não possui licença e que a placa não é verdadeira”. Mas por que não é removida?carnauba 13

Porém o empreendimento continua assim:

carnauba 16  carnauba 14 carnauba 20

 

Caros conselheiros e amigos da Reserva se sonharam e lutaram pelos mesmos ideais.

Esta na hora de dar um basta no descaso que o órgão gestor desta unidade de conservação tem para conosco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta