Macau da década de 1950: uma praça com coreto e uma draga

0

010 Foto  Studio Pax ano  praca R Branco Mons Honorio  arq GTA primeira foto é do Studio Pax, no primeiro plano o Cruzeiro, depois a Praça Rio Branco, hoje Monsenhor Honório.  Fotografada da torre da Igreja, mostra o coreto e à esquerda a casa onde morou José Fernandes que foi intendente e pai do escritor Aparício Fernandes. O coreto tinha um porão onde o jardineiro Luiz Mendonça guardava as ferramentas.

 

 

 

 

 

 

 

Na foto: a Escola Duque de Caxias, o estaleiros da CCN e a Prefeitura

a draga às margens do rio

Na segunda foto, uma draga fixa que ficava defronte à praça e que estendia os canos sugando a areia e lama que era distribuída nas margens. Ela ficava nesse local para não atrapalhar a navegação das barcaças. O local era próximo do estaleiro da CCN. Os meninos ficavam ali apanhando pedaços de cobre que vinham do fundo do rio, pois as barcaças eram chapeadas com cobre e pregadas com cobre. O senhor Vicente Gomes comprava os metais.

De Getulio Teixeira para o baú de Macau