Daltro de Paiva Oliveira

0

O GATO ARIEL

 

 

Um gato na UFRN. Clarissa Guerra, 2011

Um gato na UFRN. Clarissa Guerra, 2011

 

 

Vinte e dois de setembro. Madrugada.

“Nem uma névoa no estrelado véu…”                   (Augusto dos Anjos)

Banhei a face despreocupada,

respirei forte, contemplando o céu.

 

A Morte se apaixona. Enamorada,

vai-nos a vida para o seu vergel.

Safo de Fáon foste desprezada…

Cavalga a morte fúlgido corcel.

 

“Se lá no assento etéreo se consente,”                   (Camões)

“Vive tranquilo, as nobres atitudes

de esfinge a olhar além das solitudes…”                 (C. Baudelaire)

 

Deixaste a vida prematuramente

para melhor cingir justo laurel,

pobre amigo querido, meu Ariel!

 

                                   Daltro de Paiva Oliveira (1937/1996)