Adecob – Barreiras, Macau, Rio Grande do Norte

0

O texto é de 1995 e foi publicado na Folha de Macau. Publico agora alguns trechos recordando a Lei 615 de 1988. Não fui conferir se está ou não sendo cumprida.

 

Associação de Desenvolvimento Comunitário de Barreiras

Associação de Desenvolvimento Comunitário de Barreiras

Dura Lex Sed Lex

Em 1988 quando da implantação do primeiro Plano de Desenvolvimento Comunitário Integrado [PDCI] do Fundo de Desenvolvimento Comunitário do Banco do Brasil [FUNDEC] em Barreiras e Diogo Lopes, o prefeito da época, José Oliveira, encaminhou para a Câmara Municipal projeto de lei determinando o desconto de 1% [um por cento] do FPM para repasse às associações comunitárias de Barreiras e Diogo Lopes, na base de 0,5% [meio por cento] para cada uma. A iniciativa foi digna de louvor  já que o FUNDEC prevê a união de forças entre a comunidade, a prefeitura e o Banco. …

A administração da Associação de Desenvolvimento Comunitário de Barreiras [ADECOB] presidida por José de Arimatéia Gomes é um bom exemplo de como se deve administrar os bens públicos. Contando com poucos recursos, em pouco tempo, com parcimônia, organização e disposição de trabalho, reorganizou a lavanderia coletiva da comunidade; reformou a sede da associação; doou materiais para a reforma da igreja de São Sebastião; reabriu o curso de datilografia; adquiriu móveis e equipamentos para a sede; criou a biblioteca “Professora Francisquinha Menezes”, prestando justa homenagem à dedicada professora, já aposentada, daquela comunidade; fez assinaturas de revistas para que os estudantes possam utilizar como fonte de pesquisas e incentivou os jovens a editar um pequeno jornal na comunidade.

Afinado com os objetivos do FUNDEC e da Campanha da Cidadania do sociólogo Betinho, que prega a criação de empregos e renda, incentivou a formação de hortas e pomares domésticos, a produção caseira de doces, pequena manufatura de cordas com a utilização de materiais reciclados e o projeto mais importante: a construção de barcos e redes de pesca que são financiados sem cobrança de juros aos pescadores de Barreiras. Este projeto prevê numa primeira fase a construção de dez embarcações e redes. Três barcos já foram entregues aos pescadores e já estão em atividade e no momento existem duas embarcações em construção e a meta da ADECOB é completar esta primeira fase até o mês de dezembro de 95, para iniciar a segunda fase em 1996 com a construção de embarcações maiores. … Publicação integral no Jornal de Macau, ano II, nº 18, junho/1995.

De Claudio Guerra para o baú de Macau