Luiz Xavier da Costa [1896/1986] no Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense (1965)

0

Luiz Xavier, 1924 (Macau)Luiz Xavier da Costa [1896/1986] no Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense (1965)

Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense; autor: Romulo C. Wanderley, 1965, Edições do Val Ltda., Rio de Janeiro (GB)

Páginas 128/130

 

Luis Xavier da Costa nasceu na antiga povoação de Carapebas, hoje Afonso Bezerra (sede do município do mesmo nome), a 12 de agosto de 1896.

É filho de Francisco Horácio Xavier da Costa e Sabina Martins Bezerra Grilo.

Estudos primários com os seus parentes José Gabriel Avelino e Jacó Avelino Bezerra, de cuja casa comercial foi empregado, antes de mudar residência para a cidade de Macau, aos doze anos de idade. Jacó deu-lhe lições de gramática, aritmética e geografia, por um método simples: mandando-o decorar as lições dos compêndios.

Em Macau, Luiz Xavier continuou no comércio, até estabelecer-se por conta própria, sempre fazendo literatura, quando ali se publicava algum jornal, como “Jornal de Macau”, “O Povo”, “A Tampa” e o “Ferrão”.

Estudou sozinho, lendo o que podia. E chegou a ser advogado de réus pobres, dando expansão a sua vocação para as letras jurídicas, e suprindo a ausência de advogados em Macau.

Foi secretário da Prefeitura local (1933-1935) e prefeito do município, no governo Mario Câmara, durante o afastamento, por licença, do titular respectivo.

arquivo de leao Luiz XavierLuiz Xavier é guarda-livros provisionado, comerciante e industrial salineiro. Mas, apesar dos múltiplos afazeres, não abandonou totalmente a poesia. A lira está de atalaia para os momentos  propícios.