Manoel Rodrigues de Melo [1907/1996] no Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense (1965)

0

Manoel Rodrigues de Melo [1907/1996] no Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense (1965)

Panorama da Poesia Norte-Rio-Grandense; autor: Romulo C. Wanderley, 1965, Edições do Val Ltda., Rio de Janeiro (GB)

Páginas 68/69)

Manoel Rodrigues de Melo é filho de Manoel de Melo e Maria Rodrigues de Melo. Nasceu no Queimado, Ilha de São Francisco, município de Macau, hoje pertencente ao município de Pendências no dia 7 de julho de 1912[sic].

Descendendo de criadores e agricultores, a sua obra é toda inspirada nesses processos e técnicas de trabalho. Estudou primeiras letras em escolas particulares. Deixando o campo pela cidade, iniciou sua vida como comerciário em Macau, Pendências, Currais Novos e Natal. Foi censor de alunos no Colégio Pedro II, desta capital, sob a direção do Professor Severino Bezerra de Melo, do qual guarda excelentes recordações. Cursou a Escola de Comércio de Natal, sendo escolhido orador da sua turma, em 1934. Fundou e manteve, ao lado de outros, os jornais “O Porvir”, de Currais Novos, “A Palavra”, “Renovação”, “Nordeste” e “Bando”, de Natal. Escreveu e publicou os seguintes livros: Várzea do Assu, 2ª edição, Agir, 1951, Rio; Cavalo de Pau, Pongetti, 1953, Rio; Patriarcas e Carreiros, 2ª Edição, Pongetti, 1954, Rio; Augusto Franklin, 1954, (Discurso de Posse na Academia) – Natal; Chico Caboclo e Outros Poemas, Pongetti, 1957, Rio; Pesquisas Sociológicas, Natal; Grupos Literários da Província.

Tem a publicar: Nas Terras de Kamundá (romance de costumes regionais); História da Literatura Norte-Rio-Grandense e Imprensa Periódica no Rio Grande do Norte (continuando o trabalho de Luis Fernandes). Tem colaborado em vários jornais e revistas da província como “A República”, “A Ordem”, “Tribuna do Norte”, “Diário de Natal”, (Associados), “Correio do Povo”, “Bando” e outros. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade  de Direito da Universidade do Rio Grande do Norte, foi o orador da sua turma. Contador da Sociedade de Assistência Hospitalar, durante vinte e cinco anos, foi aproveitado no cargo de Contador da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte em 1961, por motivo da transferência do patrimônio daquela sociedade para o governo federal. Atualmente é secretário do Hospital das Clínicas da referida Faculdade. Eleito vereador pelo Partido de Representação Popular, em 1948, na chapa do Partido Social Democrático, exerceu o mandato com patriotismo e dedicação. Sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, da Sociedade Brasileira do Folclore, da Casa Euclides da Cunha desta capital. Membro do Instituto Histórico da Bahia e do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, São Paulo e do Instituto Cultural do Oeste Potiguar. Inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Rio Grande do Norte. Professor de português e história do comércio na Escola de Comércio de Natal. Professor de estudos sociais na Escola Normal de Natal.

É um dos homens mais estudiosos da província, graças ao que partindo da estaca zero, atingiu uma posição destacada em nosso meio cultural, tendo sido já várias vezes reeleito presidente da Academia Norte-Rio-grandense de Letras, cuja sede própria, construída em sua gestão, é um atestado vivo da sua capacidade realizadora.