Uma poesia de Contreras e tradução de Horácio: é a arte cubano/brasileira

0

Dia da poesia

                         Para Froilán Escobar

 

A poesia está feliz porque é seu dia

e se vê nos jornais,

a poesia está feliz porque

três pessoas a leem.

O poeta, não

o poeta não tem a quem dizer seus versos,

sequer a esses três leitores da poesia.

Isto mesmo,

a poesia tem a companhia

de três leitores, mas

o poeta, não.

 

O poeta agrada a poesia

deslizando seu lápis

sobre o papel, com lírios

quimeras

dragões,

e suspira…

a poesia fica encantada, mas

o poeta, não.

A poesia nem um só leitor traz ao poeta,

em troca, o poeta vive para a poesia

e se deixa iludir, porém

é quando

a poesia grita:

 

“passemos ao próximo poeta…”

 

                                   (Félix Contreras  – tradução de Horácio Paiva)