O compromisso é com o futuro, com as festas ou com o povo? É a indagação do macauense Helder Marques

0

Helder Marques é um cidadão macauense que não desiste da luta por uma cidade melhor. Diante dos despautérios das ultimas administrações municipais em Macau ele faz uma indagação, importante indagação que todos os que têm compromisso com vida melhor para todos macauenses deveriam fazer.

O compromisso é com o futuro, com as festas ou com o povo?

Posto de Higiene na rua Padre João Clemente, década 1950 hoje Posto de Saúde, Arq. Hilma Coutinho Melo

Posto de Higiene na rua Padre João Clemente, década 1950 hoje Posto de Saúde, Arq. Hilma Coutinho Melo

Os governantes sempre reclamam que a oposição nunca faz nada, só reclama e nunca elogia! Ora, a oposição tem o papel de acompanhar os atos administrativos e mostrar os erros e não os acertos. Apesar disso, acredita-se que se uma administração tiver mais acertos, a oposição terá menos erros a mostrar.

Nesse sentido, é importante denunciar os últimos atos da administração da Prefeitura Municipal de Macau, que está mais preocupada com a oferta de festas para o povo e demonstra seu descaso com a saúde. É o que se pode ver no Portal da Transparência e nos Diários Oficiais do município.

Nos últimos anos, as festas acontecem com frequência, contratando bandas e trios elétricos para preencherem as ruas da cidade com sua alegria, enquanto os serviços essenciais público de saúde estão sendo sucateados.

Para comprovar isso, em Macau, desde o dia 5 de janeiro, a Clínica da Família e os Postos de Saúde estão com as portas fechadas, sem fazer nenhum atendimento porque não existem mais funcionários na Secretaria de Saúde para atuar nessas unidades! E as informações que vem da Secretaria de Saúde, é que as unidades só retomarão as suas atividades no dia 12 de janeiro. Até existem médicos disponíveis, mas como estes vão desempenhar suas funções se os que trabalham nos Postos de Saúde e na Clinica da Família trabalhavam com Contratos Temporários ou Cargos Comissionados, e seus contratos terminaram no dia 31 de dezembro de 2014?

Esperava-se, no mínimo, que o administrador municipal tivesse planejado ou se preparado para suprir a falta desses funcionários, seja com a convocação dos concursados aprovados ou com a renovação desses contratos, de modo que os serviços não parassem e a população não fosse prejudicada. Mas, não! Priorizaram mais uma vez o “pão e circo”, as festas para o povo, e apostaram no esquecimento de suas próprias necessidades diárias.

Esse é o pensamento dos nossos governantes! Este parece ser também a opinião da maioria dos vereadores, que compactuam com a negligência administrativa, esquecem que foram eleitos para fiscalizar as ações e denunciar as distorções cometidas pelo prefeito.

Quanto ao gestor da Saúde Municipal, o secretário, ao ser indagado sobre as razões para que as unidades de saúde estejam fechadas, respondeu: “não tô sabendo de nada!”. E quanto ao trabalho dos médicos Cubanos dos PSF, que necessitam do pessoal de apoio, respondeu: “como eles vão trabalhar sem uma equipe”.  Isso é muito grave porque todos os repasses na área da saúde feitos pelo Governo Federal entram em uma conta bancária específica e esse gestor que tem responsabilidade fiscal para geri-lo. No entanto, negligencia e deixa a população sem o serviço básico de saúde.

Por fim, é importante destacar que nenhuma oposição é contra a realização de festas! Ao contrário, defendemos a realização de muitas festas na cidade, que sejam contratadas por valores condizentes com o mercado e sem superfaturamento. Mas, a oposição também é totalmente favorável ao funcionamento das unidades de saúde, que tenham muita qualidade, sejam adequadas e tenham pessoal contratado para funcionar e respeitar o direito da população. Por isso, perguntamos senhor prefeito Kerginaldo Pinto, o seu Compromisso é com o Futuro de Macau, é com festas ou com o povo?

Helder Marques