Antonio Fabiano

0

Obra: Sazonadas – poesia; Autor: Antonio Fabiano

Sazonadas Antonio FabianoTaba Cultural Editora, Rio de Janeiro, 2012 – ISBN 978-85-7864-056-9

Apresentação do livro pelo autor Antonio Fabiano

O livro está aí, inevitavelmente. Emancipa-se e já não precisa de mim. A arte cobra o seu fim, que é ser de todos e especialmente de quem mais a queira. Este livro é uma festa para os mais íntimos e para mim. Não está a serviço de nada, nem de ninguém. Não quer ser nada, só poesia. E que seja apenas isso é o que importa. Não sei se sou poeta, sei que quero ser poeta. Poesia é coisa séria. Talvez a coisa mais seria! Esta vem sem grandes pretensões, mas não é uma poesia qualquer: e a minha poesia.

Página 21 e 22

Uma poesia para os leitores de Macau, a potiguar brasileira, a chinesa e a francesa que pronunciam macô.

Ao leitor de Macau

 

Eu quero um leitor em Macau

Antes que adormeça a língua

E o que redime a história

Sem desvios

Aconteça.

 

Tenho pressa!

 

Um leitor em Macau

É o que eu quero

E muitas sílabas soídas

Com

Nossa língua na língua

Estranho elo

Casada

No

Prazer sem culpa

Sem desculpas

Ela

Inculta e bela

Ela

Como ela só.

 

Um leitor em Macau

Eu quero

E isso é mais impontante

Que a estrela

Fria

Longínqua

Muda

Sem brilho

Nos céu de um dia

Qualquer

De sol

 

Ele

O meu leitor de Macau

Há de dar sentido à lida

Lido eu

O meu poema

Ema macauês português

 

Num leitor assim respira

Fundo

Fundo

Em seu pulmão

O meu sonho de Macau

A minha dor de Macau

O meu amor por Macau.

 

É noite

E impera

Longe de fanar-se

Ela

Linda

(Lírica)

Esbelta e bela

Ela

A adjetivável

Flor do Lácio

Caçula

Já sem nome ou pátria

Ela

E o meu leitor de Macau.