Um traseiro na CPI da Petrobrás

0

Nelma Kodama que talvez poucos saibam quem seja – ela não tinha interesse para a grande mídia — foi uma das condenadas no processo que apura a corrupção na Petrobrás. Nelma protagonizou no mês de maio um episódio insólito dando mostras do quanto uma CPI pode ser desmoralizada. Acusada por um deputado de ter sido presa ao tentar sair do Brasil com 200 mil euros escondidos na calcinha, ela não titubeou e no auditório da Justiça Federal onde era realizada a CPI,  virou-se,  levantou seu casaco e com as duas mãos nos bolsos traseiros disse que os euros estavam ali.  O fato poderia passar por um certo descontrole da acusada não fosse  o que ela disse depois em alto e bom som para os ilustres parlamentares: “o Brasil é movido a corrupção”.

Parece que nem o comportamento desrespeitoso e nem a acusação lançada por Nelma Kodama constrangeu a grande maioria dos parlamentares, que nas suas trajetórias políticas participaram muitas vezes de atos desrespeitosos e de atos de corrupção.

De Claudio Guerra para o baú de Macau