Alguns nomes de Macau

0
E.Valle, Rua Princesa Isabel, década 1930

E.Valle, Rua Princesa Isabel, década 1930

Uma boa fonte de pesquisa são os documentos dos inventários nos cartórios. Em Macau eles estão sendo destruídos pelo cupim, pelo salitre e pela insensibilidade dos poderes republicanos, como alertou recentemente o Professor e pesquisador João Felipe da Trindade. O fato, corriqueiro em nosso país onde não quase não há dinheiro para conservação da história (há dinheiro e muito para festas literárias, eu disse FESTAS). Não fosse a determinação de alguns homens e mulheres que tomam para si a responsabilidade que é do Estado e dos Governos,  a memória, os objetos e os documentos restariam desaparecidos.

Pesquisando um desses documentos [começo da década de 1950] listo alguns nomes de Macau. Uns permanecem até hoje com o nome da época, outros constam do memorável Macauísmos – Lugares e falares de Benito Barros [1957-2010] outros vejo pela primeira vez . Os bens pertenciam ao Coronel Francisco Tertuliano de Albuquerque que possuía vasta riqueza em muitos lugares do Brasil.

Em Macau alguns de seus bens situavam-se na Rua Boa Vista, Rua Coronel Belisiário, Praça do Chalet, Sítio Valadão, rua Padre Fernandes, Rua 28 de Setembro, Rua Conselheiro Dantas,  Rua do Açude, Rua Augusto Severo. Possuía ainda as Barcaças Bôa-Viagem, Tabitha e Santo Alberto e ainda as ilhas de Balthazar e José Dantas. Onde seria a praça do Chalet? E a ilha de Balthazar?

De Claudio Guerra para o baú de Macau.