Franciscanos

0

FRANCISCANOS:
SOLO, COLOQUIAL E MUSICAL
– HORÁCIO PAIVA, EDUARDO GOSSON
& ROBERTO LIMA

NATAL – 2015
À Sua Santidade,
O Papa Francisco.
Um poema

uno e trino

que se inicia

se desdobra

e se amplia

na inspiração devocional

de três poetas…
O início: O POEMA

– por Horácio Paiva

O NATAL DE SÃO FRANCISCO

– Horácio Paiva
São Francisco refletia
sobre as chagas de Jesus
e a esperar se quedava
transido de frio e jejum.
Que procurais São Francisco
nesta noite de Natal?
A quem chamais, pobrezinho
na noite fria de Assis?
Já não tendes o presépio
e vossa fé bem plantada?
Vosso bordão, vosso hábito
e as vossas orações?
As cinco chagas chamais
de Nosso Senhor Jesus Cristo
profundo e simples quereis
compartir a sua sorte.
Há uma estrela a guiar
o caminho até as chagas.
Há o sangue derramado
sobre a neve sossegada.
O meio: O DIÁLOGO

– por Horácio Paiva & Eduardo Gosson

O NATAL DE SÃO FRANCISCO E DO POETA HORÁCIO PAIVA
– Horácio Paiva & Eduardo Gosson –

São Francisco refletia
sobre as chagas de Jesus
e a esperar se quedava
transido de frio e jejum.

– Medito em profundo silêncio e solidão!

Que procurais São Francisco
nesta noite de Natal?
A quem chamais, pobrezinho
na noite fria de Assis?

– Procuro pelos desvalidos deste mundo.

Já não tendes o presépio
e vossa fé bem plantada?
Vosso bordão, vosso hábito
e as vossas orações?

– Sim, tenho tudo isso. Contudo, preciso buscar a todos,
para que não se perca nenhum.

As cinco chagas chamais
de Nosso Senhor Jesus Cristo
profundo e simples quereis
compartir a sua sorte.

– Sim, o verbo é simples!

Há uma estrela a guiar
o caminho até as chagas.
Há o sangue derramado
sobre a neve sossegada.

– Sim, o seu sangue não foi em vão. Sobre a neve nascerão
rosas e esperança.
O final: A CANÇÃO

A letra (com as alterações textuais) e a Partitura
– por Roberto Lima
O NATAL DE SÃO FRANCISCO

Letra: Horácio Paiva & Eduardo Gosson com adaptação de Roberto Lima
Música: Roberto Lima

Prólogo: São Francisco refletia
Sobre as chagas de Jesus
E, no chão, se estendia,
Abrindo os braços em cruz…

1- — Que esperais, ó São Francisco,
Hirto de frio e jejum?
Que fazeis, pobre Francisco,
A vos quedar sobre o chão?

— Eu medito no silêncio
E em profunda solidão!

2- — Que buscais, ó São Francisco,
Nesta noite de Natal?
A quem chamais, pobrezinho,
Na noite fria de Assis?

— Eu procuro pelos pobres,
Desvalidos deste mundo!

3- — Já não tendes o presépio,
Vossa fé já bem plantada,
O bordão e vosso hábito
E as vossas orações?

— Eu preciso buscar a todos
Pra não perder-se nenhum!

4- — As cinco chagas chamais
De Nosso Senhor Jesus Cristo,
Profundo e simples quereis
Compartir a sua sorte?

— Sim, pois o verbo é simples,
Mas traz a vida de Deus!

5- — Há uma estrela pra guiar
O caminho até as chagas,
Mas há sangue derramado
Sobre a neve sossegada.

— Seu sangue não foi em vão,
Pois se cumpriu a aliança,
Sobre a neve nascerão
Rosas vivas de esperança!

PARTITURA MUSICAL

– por Roberto Lima

NOTAS SOBRE OS AUTORES

Horácio Paiva

Horácio de Paiva Oliveira nasceu em Macau, Rio Grande do Norte, Brasil, em 30 de agosto de 1945, filho de Horácio de Oliveira Neto e Francisca Paiva de Oliveira. Desde cede manifestou-se o seu gosto pela literatura, sobretudo pela poesia. Publicou o seu primeiro poema aos 16 anos. Aos 18, com outros jovens escritores, criou em Natal o “movimento dos novíssimos”, que mantinha uma coluna literária no antigo jornal católico “A Ordem” (“Coluna dos novíssimos”). Foi funcionário do Banco do Brasil, onde serviu como escriturário, instrutor de direito civil e comercial e, depois, advogado. Iniciou seu curso de Direito em Recife, concluindo-o em Natal. Advogado, participou ativamente das lutas pelo restabelecimento, em seu País, do Estado Democrático de Direito. Foi fundador e presidente da Comissão Justiça e Paz – entidade pioneira na defesa dos direitos humanos, vinculada à Arquidiocese de Natal -, membro do Comitê da Anistia no RN, coordenador do Comitê Pró-Diretas de Natal, fundador e presidente da Coordenação Intersindical do Estado do RN, membro da Comissão Nacional Pró-CUT (representando o RN), presidente do Sindicato dos Bancários do RN (de 1980 a 1989) e diretor da Federação dos Bancários de Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Prêmio de Direitos Humanos “Emanoel Bezerra”. Cidadão Natalense, através de lei municipal. A vida intensa dedicada ao movimento social retardou o lançamento de seu primeiro livro de poesias (“Navio entre espadas”), que somente veio a lume no ano de 2002. Está incluído na antologia “Geração alternativa (antilogia poética potiguar)”, organizada pelo escritor J. Medeiros e editada em 1997. Participou, depois, de uma coletânea macauense de versos, chamada “A escola de Macau”, e publicada em 2003. Recentemente, em agosto de 2012, ao completar 67 anos, lançou seu livro de poemas “A Torre Azul”. Tem, prontos, em vias de publicação, dois novos livros de poesias: “Caderno do Imaginário” e “Sou de Deus”.

Endereço: Rua Joaquim Patrício, 2598 – Condomínio Corais de Cotovelo – torre azul – apto. 302
Praia de Cotovelo – Parnamirim/RN – Brasil (CEP. 59.161-900)
Telefones: 55 (084) 4104.0202 – 55 (084) 99142.4317
E-mail: horacio_oliveira@uol.com.br
Eduardo Gosson

Há 56 anos, precisamente no dia 1º de junho de 1959, às 7:22h, na maternidade Januário Cicco, apareceu no mundo, filho de Elias Antônio Gosson (filho de imigrantes libaneses) e Maria Dantas de Araújo, com 2,700 (dois quilos e setecentos gramas). Jornalista e Sociólogo,   publicou os seguintes livros:
O Ciclo do Tempo, 1990 (Poesia) -Sociedade e Justiça: História do Poder Judiciário do RN. Natal: 1998. (História) – Ministros Potiguares, 2005. (História) – Poema das Impossibilidades, 2007. (Poesia) – Entre o Azul e o Infinito, 2012 (poesia) e Crônicas da família Gosson, 2013, (Genealogia). Para publicação os seguintes: Almanaque da Poesia Potiguar, Eu não sabia que doía tanto (poemas e crônicas) e Crônicas do Tempo Presente (crônicas). Participou da reorganização da UBE-RN, sendo eleito Presidente  por três mandatos (2008-2009), (2010-2011)  e (2012-2013).

Endereço:
Telefones: 55 (084) 98782.3660
E-mail: eduardogosson115@gmail.com
Roberto Lima

Roberto Lima de Souza nasceu em Natal em 02 de abril de 1946. É poeta e escritor (prêmio Othoniel Menezes, 1978 e Prêmio Câmara Cascudo, 1980 da Prefeitura de Natal e um dos ganhadores do Concurso literário Américo de Oliveira Costa” da UFRN/2014, nas categorias conto e poesias.), compositor laureado em festivais, destacando-se: 1° lugar do Norte e Nordeste (Recife) no I Festival Nacional da Música Popular Brasileira “O Brasil Canta no Rio”, e 5° lugar na Finalíssima Nacional (TV Excelsior, Rio de Janeiro); 1° lugar no II Festival Natalense da Canção Popular Natal; 2° Lugar IV Festival Internacional da Canção (fase Norte/Nordeste) e Finalista do IV FIC – TV Globo, Rio de Janeiro; 2º lugar no Concurso Nacional de Música da ANDES para Professores Universitários; 3º e 2º lugar, respectivamente, no I e II Forraço – Inter TV Cabugi. Presidente da União Brasileira dos Escritores/RN, membro do Instituto Histórico do RN, membro da Comissão Estadual de Folclore. Professor da UFRN, onde foi um dos fundadores do departamento de Artes, primeiro Coordenador do Curso de Educação Artística e também um dos fundadores do Curso de Filosofia e fundador do primeiro Curso de Pós-Graduação em Filosofia. Na UFRN, foi eleito Chefe do Departamento de Filosofia por três vezes e Vice-Diretor do Centro de Ciências Humanas Letras e Artes-CCHLA. É mestre em Lógica e Filosofia da Ciência (UNICAMP) e doutor em Filosofia (Université Catholique de Louvain / UNICAMP). Recebeu diploma de Personalidade Benemérita pelos serviços prestados ao desenvolvimento da Cultura, das atividades artísticas e da Música (UFRN); Prêmio de Diretos Humanos/89 do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular e Movimento Nacional de Direitos Humanos; Medalha do Mérito Cultural “Deífilo Gurgel” do Governo do RN e Medalha e Diploma do Mérito Cultural “Deífilo Gurgel” da Câmara Municipal de Natal. Entre outras funções públicas, foi Chefe da Casa Civil do Governo do Estado (RN), Diretor Administrativo da EMPROTURN, Diretor Cultural da Fundação Capitania das Artes – FUNCARTE, Secretário de Administração e Gestão de Pessoas da Prefeitura Municipal de Natal e Presidente da FUNCARTE. É membro da Equipe de Reflexão de Música Litúrgica da CNBB e tem colaborado com diversas publicações e cancioneiros Litúrgicos. É autor de várias músicas religiosas cantadas Brasil afora, inclusive do Hino da Campanha da Fraternidade de 2007 – “Amazônia e Fraternidade”, da Letra do Hino da Campanha da Fraternidade/2012 “Fraternidade e Saúde Pública” e da letra e da Música do Hino da CF 2014 “É para a Liberdade que Cristo nos Libertou”. Obras principais: As Dimensões do Tempo (poesias), Les “Autos” Populaires du Nordest du Brésil – in Art et Societé – Université de Namur (Bélgica – 1994); Romance da Princesa Kalina (Cordel em 10 cantos), As Dimensões do Espaço Íntimo (Poesias), O Quinto Anjo e Outros Contos.
Endereço: Rua Valter Fernandes, 3559 – Capim Macio.
CEP – 59.082-090
Telefones: (84) 3642-3805 – (84) 9.8899-9686
E-mail: robertolsouza@globo.com