Teatro Hianto de Almeida

0

2006 Teatro Hianto de Almeida destruído pela incúria.

2006 – Teatro Hianto de Almeida destruído pela incúria. Até hoje [setembro de 2010] não foi recuperado.

Obra: “A bossa nova de Hianto de Almeida”, Autora: Leide Câmara,  2010, SESC/RN. Segundo a pesquisadora o trabalho não é uma biografia, mas um cronologia da obra de Hianto de Almeida, com letras de músicas, partituras, notícias de jornais, etc. O compositor macauense teve vários parceiros, dentre eles Chico Anysio, Carlos Gonzaga, K-Ximbinho, Macêdo Neto, Fernando Lobo, dentre outros e suas músicas teve como intérpretes vários nomes importantes da MPB, como Elizeth Cardoso, César Camargo Mariano, Lúcio Alves, Elza Soares, Maíza e João Gilberto, que gravou a canção “Meia Luz”, composição de Hianto de Almeida e João Luís de 1978. A pesquisadora fala também neste livro sobre a influência musical de Hianto, cujo pai Fernando d’Almeida, era pianista e tocava nos cinemas de Macau.  Os irmãos Gilson, Haroldo, e Newton também são músicos. Hianto Ramalho de Almeida Rodrigues, compositor e cantor, nasceu em Macau/RN em 2 de junho de 1923 e faleceu em Natal/RN em 27/9/1964. Hianto não tem o valor que merece em  Macau onde sua obra é desconhecida. A pesquisadora Leide Câmara resgatou fatos importantes do macauense precursor da bossa nova, como uma  carta de 1955, do cantor e compositor Tom Jobim, onde ele presta uma homenagem aos amigos falecidos, entre os quais Hianto de Almeida e a revista Disco Tocando de 1955 que selecionou as 100 melhores músicas brasileiras daquele ano e dez delas eram de autoria de Hianto, que compôs 237 músicas.

Leia aqui, Uma tragédia em cinco atos

Deixe uma resposta