Memórias da água em Macau [5]

0

O serviço de água do município de Macau

Getúlio Moura, 2005, Alcanorte, arquivo GM

O outro problema é o serviço de água. Pelo projeto da Alcanorte o sistema de adutoras da empresa foi estendido até o núcleo urbano para suprir a cidade de água. O sistema foi projetado em 1977, para o fornecimento de 180 m3/h de água para uma população de 16.000 habitantes e em condições de atender às suas necessidades durante os próximos 30 anos. O valor investido em todo o sistema orçou em Cr$40 milhões, que atualizado até janeiro de 2008 corresponde a R$41,4 milhões. A água é captada no rio Açu próximo do núcleo urbano de Pendências e é bombeada para a estação de tratamento da CAERN que fica na comunidade da Quixaba, povoado distante 6 km da cidade de Macau.

Em 1982 a adutora foi inaugurada e a cidade foi dotada de água encanada, cujo serviço é explorado pela CAERN. O sistema de tubulações não recebe manutenção devida e constantemente entra em pane, e pode vir a entrar em colapso. A análise da água captada realizada recentemente apontou para sérios problemas de qualidade.

Penso que o sistema deve ser imediatamente redimensionado visando o suprimento da população do município, hoje em torno de 25 mil habitantes e o atendimento do processo industrial, não só da Alcanorte, mas de outras empresas que possam vir a se instalar em Macau.

 

in: Alcanorte, da farsa às cinzas. p. 148/149

Autor: Claudio Guerra. Editora Sebo Vermelho