Ilha de Manoel Gonçalves

Cartas da Ilha de Manoel Gonçalves

O pesquisador João Felipe da Trindade, professor da UFRN em artigo no Jornal de Hoje de 15/2/2011 com o título Cartas da Ilha de Manoel Gonçalves, levanta um assunto muito interessante para a história do Rio Grande do Norte e mais interessante ainda para os macauenses. Diz o professor no último parágrafo do seu artigo: Um dia, a Ilha de Manoel Gonçalves merecerá maior visibilidade por parte das autoridades deste país.

mais sobre o assunto, acesse: literatura e artes

As cópias foram gentilmente cedidas pelo Professor João Felipe Trindade e tratam-se de procurações expedidas na Ilha de Manoel Gonçalves nas datas de 8 de outubro de 1826  e 22 de fevereiro de 1830 pelo Capitão Silvério Martins de Oliveira.

Na obra O Centenário da cidade de Macau [1975], o autor Walter Wanderley, debate a questão do abandono da Ilha de Manoel Gonçalves. …”Mas, comecemos a história pela Ilha de Manoe Gonçalves. Em 1818, ao que se sabe, a Ilha era grandemente habitada, constituindo-se de um populoso núcleo na venda e na exportação de peixe para os diversos pontos do País. … Contam os historiadores que no ano de 1845, em janeiro, a Ilha já sofrera acentuado êxodo de sua população, em desespero, achando-se quase deserta, já invadida pelas águas, permanecendo, ali, apenas, um inspetor de Quarteirão, …

A ilha submersa de Fagundes de Menezes